Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

Sabia que há eleições regionais a 19 de Outubro?

Por estranho que pareça, há quem ainda não se tenha apercebido que no próximo dia 19 de Outubro o povo açoriano irá eleger um novo parlamento, desta vez, segundo os termos da lei eleitoral revista em 2007, que inclui o círculo regional. Estamos a menos de um mês das eleições regionais que, pela primeira vez, envolvem apenas a Região Autónoma dos Açores, uma vez que na Madeira, a oitava legislatura foi interrompida a meio do mandato.

Um acto eleitoral é sempre um convite à participação cívica, manifestação do poder que em democracia é de todos; expressão do apoio que cada um dá aos candidatos apresentados pelos partidos políticos; gesto de aprovação das linhas orientadoras que estruturam as diferentes candidaturas e programas eleitorais.

Negar a si mesmo a oportunidade de votar é demitir-se da sua responsabilidade; é calar a sua voz, mesmo que alguns pensem que um voto é muito pouco. Esquecem-se dos portugueses que foram perseguidos e até presos, antes do 25 de Abril, por lutarem por esse direito e das mulheres a quem foi negado o direito de voto durante décadas. Votar é um privilégio de cidadãos livres que apela à consciência de cada um. É um dever cívico, mesmo que isso não implique penalizações, quando não cumprido. Todos os eleitores são importantes, porque é a vontade de cada um e do colectivo que se manifesta num acto eleitoral. É habitual dizer-se, “por um voto se ganha, por um se perde”.

As eleições de 19 de Outubro são um momento político importante para o desenvolvimento dos Açores nos próximos quatro anos, desde logo porque os açorianos são convidados a escolher quem querem para chefe do governo.

Até 19 do próximo mês, os candidatos desdobram-se em acções de campanha, conversam nas ruas com os residentes, participam em comícios ou em eventos com cobertura mediática. Apesar de alguns dizerem, “só vemos os partidos nas ruas de quatro em quatro anos”, a campanha eleitoral é sempre uma oportunidade para as populações conhecerem de perto as pessoas que integram as listas de candidatos e assim votarem não apenas num símbolo, mas em quem julgam melhor representar os seus interesses no parlamento e no governo que dele emanar.

Em tempo de campanha, no meio de brindes e panfletos e ao som de hinos e músicas de campanha, o mais importante é passar uma mensagem de confiança, que não sejam só promessas, mas a demonstração de capacidade e vontade de trabalhar e servir.

Eleições, tempo de argumentação contraditória, em que se buscam fragilidades no adversário, para reforçar posições. Lugar à controvérsia, mas também lugar ao esclarecimento. Por muito que se disfarce, em tempo de campanha eleitoral, a verdade das pessoas vem ao de cima, “como o azeite” e, num confronto saudável, emergem linhas de pensamento e acção, formas de fazer política. Entre candidaturas que se opõem, destacam-se os valores, princípios e as posições de quem aceitou o desafio de participar num determinado projecto político.

Em tempo de campanha é importante escutar para melhor escolher.

Votar é um dever de cidadania, que ninguém deveria esquecer. Para os mais distraídos, talvez não fosse má ideia, registar um lembrete na agenda ou no telemóvel, porque o próximo dia 19 de Outubro é dia de eleições.

(publicado no Açoriano Oriental de 29 Setembro 2008)

publicado por sentirailha às 10:00
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Simone Veil

. Igualdade para fazer a di...

. Uma mulher condecorada

. O Papa do sorriso

. Um Tempo para meditar!

. Sexismo

. Retrocesso na Rússia

. Uma horta faz bem!

. Retrocesso na Rússia

. Deveres humanos

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Açorianidade

.Visitantes

blogs SAPO

.subscrever feeds