Quarta-feira, 25 de Novembro de 2009

Diferentes

 

A descoberta do genoma humano revelou uma matriz comum da humanidade e em nenhuma das suas componentes foi encontrada uma causa directa para a diferenciação do que designamos por raças.
Na realidade, os fenotipos ou traços físicos, como são, por exemplo, a cor da pele, o formato do rosto, a estatura, o tipo de cabelo, não são estruturantes do ser humano mas o resultado de um longo processo, de milhões de anos, de adaptação ao meio.
O que nos distingue, enquanto pessoas, comunidades, são os percursos de vida, o contexto étnico, social, económico ou outro, que nos identificam. São as línguas que não partilhamos, os costumes ou as tradições que nos enraízam numa comunidade ou os artefactos que nos habituamos a ver como parte do universo construído que nos rodeia.
O que nos distingue nunca nos deveria separar.
Infelizmente, evitamos os deficientes, recusamos a partilha com quem não compreendemos e resistimos perante a integração da diversidade na escola ou no bairro onde moramos. Como se a diferença estivesse no outro e não na relação que com ele se estabelece. Como se o problema do surdo fosse dele e não dos ouvintes que não falam a língua gestual ou o isolamento dos deficientes motores não estivesse relacionado com as barreiras arquitectónicas que alguns municípios teimam em não alterar.
Levamos séculos, julgando que o mundo acabava no horizonte do mar.
Só quando os navegadores trouxeram objectos e o testemunho de que havia mais mundos, tomamos consciência de que existiam outros povos, que alguns se apressaram em considerar inferiores, primitivos.  
Passados tantos anos, as comunidades do ocidente são tudo menos homogéneas. A diferença não vem de fora, mas estrutura as cidades, as famílias, o mundo do trabalho e as escolas. As línguas são hoje partilhadas e o mundo perdeu as suas fronteiras na internet.
A cidadania implica reconhecer a diversidade, não como um problema mas uma fonte de enriquecimento, que alarga as fronteiras do conhecimento e relativiza a normalidade que alguns julgam ser ou representar.
Afinal não são os outros que são diferentes, mas o modo como os tratamos.
Porque a diferença, quando isola ou discrimina, somos nós que a fazemos.
 
 (publicado no Açoriano Oriental, 16 de Novembro 2009)
publicado por sentirailha às 18:39
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Onde moram os afetos?

. O (des)acórdão

. O furacão anunciado

. Ruby Bridges

. Escárnio e Maledicência

. O género da polémica

. Pobreza e Desigualdade

. Simone Veil

. Igualdade para fazer a di...

. Uma mulher condecorada

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

.tags

. todas as tags

.favorito

. Escárnio e Maledicência

. Açorianidade

.Visitantes

blogs SAPO

.subscrever feeds