Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

SentirAilha

Viva! Este é um espaço de encontro, interconhecimento e partilha. Sentir a ilha que cada um é, no mar de liberdade que todos une e separa... Piedade Lalanda

SentirAilha

Viva! Este é um espaço de encontro, interconhecimento e partilha. Sentir a ilha que cada um é, no mar de liberdade que todos une e separa... Piedade Lalanda

A Tolerância

 

“Já será grande a tua obra se tiveres conseguido levar a tolerância ao espírito dos que vivem em volta; tolerância que não seja feita de indiferença…e que, afirmando o que pensa, ainda nas horas mais perigosas, se coíba de eliminar o adversário e tenha sempre presente a diferença das almas e dos hábitos”. (Agostinho da Silva, Considerações)
 
Por vezes confunde-se tolerância com falta de firmeza. Aceita-se tudo, porque se entende que a liberdade individual é sinónimo de espaço sem fronteiras, discurso sem controlo, comportamento sem regras.
A tolerância não é certamente indiferença, como refere Agostinho da Silva, mas capacidade de entender os outros, mesmo que adversários, na sua diversidade de pensamentos e acções. Nesse sentido, a tolerância é necessária quando se discutem ideias e se procuram soluções consensuais. Sem eliminar o conflito, evita que a discordância se torne em agressividade descontrolada.
O tolerante, sendo próximo, consegue se distanciar perante os problemas, para melhor os ver e sobre eles discernir. Afinal, todos sabemos que quando uma discussão se torna acalorada, ninguém tem razão e os argumentos resvalam, com facilidade, para a ofensa e a agressão.
Ser tolerante é ter presente a diferença e ser capaz de a valorizar nas relações, na produção de um trabalho, na realização de um projecto. Sem negar as tensões que daí advêm, a tolerância é, por ventura, uma condição essencial para garantir o equilíbrio nas relações humanas, seja na família e no mundo mais privado ou no espaço público. Quantos divórcios não são fruto de uma intolerância persistente perante diferenças conhecidas desde o casamento, mas que se tornam inaceitáveis com o passar do tempo? Quantos conflitos entre gerações não resultam da intolerância perante a diferença de idade e de experiências a esta associadas? Quantos desencontros, rupturas no mundo do trabalho, não são o resultado da prepotência de quem decide sem ouvir, escolhe sem pensar e manda sem consultar?
A tolerância é sem dúvida uma virtude que alguns cultivam e outros poderiam aprender. Do cimo da sua prepotência, julgam dominar o mundo porque silenciam as diferenças.
 
“A tolerância em face do que esmaga não anda longe do temor; então, antes os quero violentos que cobardes. (Agostinho da Silva, Considerações)
(Publicado no Açoriano Oriental a 11 Janeiro 2010)

Mais sobre mim

imagem de perfil

Visitantes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D