Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

SentirAilha

Viva! Este é um espaço de encontro, interconhecimento e partilha. Sentir a ilha que cada um é, no mar de liberdade que todos une e separa... Piedade Lalanda

SentirAilha

Viva! Este é um espaço de encontro, interconhecimento e partilha. Sentir a ilha que cada um é, no mar de liberdade que todos une e separa... Piedade Lalanda

Dar voz aos cidadãos

 

A importância do poder local reside no facto de estar perto dos cidadãos.
Chamados a escolher os executivos, nas Câmara e nas Juntas, é nas Assembleias de freguesia e municipal, que os munícipes se encontram verdadeiramente representados.
E, sempre que reúne em sessão plenária, a assembleia municipal convoca os membros dos diferentes grupos políticos e todos os presidentes de junta, representando as freguesias do concelho. Uma reunião magna, aberta a quem queira assistir e, eventualmente, participar num período reservado à participação do munícipe que quer fazer ouvir a sua própria voz. Infelizmente, muito raramente as assembleias municipais contam com a presença de cidadãos não eleitos.
Vivemos num país e numa região onde ainda não se pratica, de forma espontânea e voluntária, uma cultura cívica que contrarie o activismo de sofá, praticado diante da televisão ou lendo o jornal, e transforme a critica avulsa, que se faz à mesa do café, em participação activa e democrática.
Mas que interesse pode ter um cidadão em assistir a uma reunião, que até pode demorar várias horas?
Desde logo tem a oportunidade de verificar se aqueles que elegeu erguem a sua voz na defesa dos interesses da comunidade ou pelo contrário, permanecem calados durante toda a sessão, apenas erguendo o braço para votar favoravelmente tudo o que é apresentado pela câmara.
Em qualquer sessão da Assembleia Municipal, para além dos assuntos agendados, os vogais podem levantar questões ou dúvidas que preocupam os munícipes. Essa deve ser a prática de todas as forças políticas presentes. Como membros da Assembleia Municipal, cabe-lhes fiscalizar as acções do executivo camarário.
Talvez agora se entenda do muito que se pode ficar a saber numa assembleia municipal. Por exemplo, quem tivesse assistido à reunião do passado dia 23 de Fevereiro em Ponta Delgada, teria ouvido questionar a Presidente da Câmara sobre o incidente do edital que limitou a circulação dos camiões durante a “batalha das limas” e ficaria a saber que, não ser patrocinado pela empresa municipal Anima significa ser um camião “privado”, “independente” e, apesar de a câmara afirmar existir um regulamento municipal para esta actividade, apenas as equipas dos camiões patrocinados ou “municipalizados”, o conhecem.
Tomaria ainda conhecimento dos cinco milhões de euros que, durante quinze anos, a Câmara de Ponta Delgada irá transferir para a empresa municipal “Azores Parque”, para tomar posse de uma estrada municipal com 1800 metros que custou “cerca de dois milhões de euros”, como referiu a própria Presidente da Câmara.
Também ficaria a saber que a autarquia preza muito as parcerias público privadas mas, enquanto negoceia com um privado a instalação da “central de camionagem”, adquire o capital social dos privados que integravam a empresa municipal “Cidade em Acção”.
O escrutínio dos eleitores não pode, ou não devia, limitar-se à expressão dos seus votos. É importante que conheçam e avaliem o modo como os seus governantes conduzem os destinos da comunidade e se revejam na voz de quem os representa nas assembleias municipais.
(publicado no Açoriano Oriental a 1 de Março 2010)

Mais sobre mim

imagem de perfil

Visitantes

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D