Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SentirAilha

Viva! Este é um espaço de encontro, interconhecimento e partilha. Sentir a ilha que cada um é, no mar de liberdade que todos une e separa... Piedade Lalanda

SentirAilha

Viva! Este é um espaço de encontro, interconhecimento e partilha. Sentir a ilha que cada um é, no mar de liberdade que todos une e separa... Piedade Lalanda

Dever ou prazer

Em muitas circunstâncias da vida, agimos por prazer e ou por dever. Quando conseguimos viver, conjugando as duas experiências, em geral concretizamos uma situação quase ideal.

O dever enquadra as acções na relação que cada um de nós estabelece com os outros, a sociedade, um conjunto de obrigações, uma organização. O prazer centra-nos em nós próprios, nos desejos, nas aspirações, na realização pessoal.

O ser humano concretiza o seu projecto de vida na medida em que consegue percorrer um caminho, ao mesmo tempo retirando o prazer da caminhada e consciente das tarefas que esta lhe exige, nem sempre agradáveis ou oportunas.

Vem esta reflexão a propósito de uma comparação muito frequente, entre homens e mulheres, na sua relação com a culinária. Dizia alguém, porque será que, apesar de a cozinha ser um espaço associado à mulher, quando se trata de grandes chefes, a maioria e os mais conhecidos, são homens?

A resposta pode ser dada com os dois verbos que referi no início. Enquanto muitas mulheres cozinham por dever e a cozinha foi-lhes imposta, na educação, na tradição, como espaço que integrava o modelo da “boa dona de casa”, os homens entraram neste laboratório da alimentação para fazer experiências, inventar pratos, fazer negócio.

Enquanto a cozinha do dever, até pode ser criativa, mas tem como pano de fundo a boa gestão dos recursos, os aproveitamentos, o objectivo de alimentar e, se possível, agradar; a cozinha do prazer é um acto de criatividade e inovação, de procura da estética do prato e da fusão de aromas, exige bons ingredientes e, por vezes, implica desperdícios, sempre que não corresponde aos padrões exigidos no mercado da restauração.

Às mulheres, que cozinham todos os dias para a família, exige-se capacidade para garantir a sobrevivência, engenho para saber aproveitar sobras das refeições anteriores, como acontece com a “roupa velha”, “as empadas”, para que nada seja deitado fora e tudo volte à mesa com nova apresentação.

Aos chefes de cozinha pede-se imaginação e arte para conjugar os produtos alimentares, que devem ser de primeira qualidade, com técnicas apuradas; espera-se que saibam produzir novas receitas e transformar uma refeição numa experiência degustativa.

Prazer e dever são duas dimensões da vida, que nem sempre conciliamos, mas que constituem a essência da actividade humana. Por um lado, corresponder ao que os outros esperam de nós e, por outro, realizar-se como pessoa.

Quem apenas age motivado pelo prazer, acaba por se tornar egoísta, alienado do mundo e das necessidades dos que o rodeiam.

Por sua vez, quem vive focado no dever e nunca dá a si próprio uma oportunidade de sentir o prazer de viver, acaba por se tornar amargo, contendo uma revolta que nem ele próprio percebe.

Viver é saber conjugar o prazer com o dever. É realizar-se na medida em que se cumpre as regras e cumprindo-as, introduzir nelas a humanidade.

(publicado no Açoriano Oriental, a 8 Agosto 2011)

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Visitantes

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D